Cinco conselhos de Pema Chodron para quando estamos a morrer

Deirdre Blomfield-Brown adotou o nome de Pema Chodron ao tornar-se monja budista e nos seus vários ensinamentos sobre budismo, a prática de meditação e contemplação, ela partilha cinco práticas para quando estamos a morrer.

Os cinco conselhos para quando estamos a morrer

Estes cinco conselhos estão fundamentados nas cinco forças do Lojong, o treino da mente. Naturalmente este é um convite a observá-los enquanto estamos vivos. Eles falam sobre o entendimento da impermanência na vida, a nossa capacidade de compaixão e desapego. O morrer é como um deixar fluir. O rio encontra-se com o oceano.

1 – Uma forte determinação

Abre-te e deixa ir quando as aparências deste mundo se começam a dissolver.

2 – Familiarização

Pratica esta abertura e desapego ao longo da vida, para não entrares em pânico quando tudo se dissolve com a morte.

3 – A semente positiva

Confia que tens uma capacidade inata de te desapegares e sentires compaixão pelos outros.

4 – Reaproximação

Ao realizar que esta tua identidade limitada não é sólida e se dissolve, não sejas indulgente querendo mantê-la ao se dissolver.

5 – Aspiração

Ao morrer, aspira enviar para todas as tuas futuras vidas a presença dos teus mestres e de fazeres o melhor para beneficiar os outros, para sempre.

Pema Chodron

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *