Porque é que a Língua Gestual é um superpoder?

Somos seres sociais e por isso, todos os dias sentimos a necessidade de comunicar.

Nem sempre a comunicação com alguém tem que se revelar em algo extensivo ou difícil. Muitas vezes, comunicar e sentir que comunicam connosco, é obter resposta a um desejo de um “bons dias” que verbalizamos à entrada da pastelaria que escolhemos naquele dia para tomar o pequeno-almoço.

Porém, algo tão simples como o exemplo em cima descrito, pode tornar-se algo complexo, quando nos deparamos com situações de urgência médicas onde não conseguimos estabelecer comunicação com o enfermeiro ou médico que se encontra disponível para nos ajudar.

Será então a comunicação, assim tão acessível para todos nós? Eu diria que não.

Estimasse que em Portugal, existam cerca de 120 000 cidadãos Surdos que diariamente sentem a sua comunicação comprometida. Uma vez que os Surdos se expressão através da Língua Gestual Portuguesa, e a maioria da população não domina a Língua, os Surdos, atravessem barreiras comunicativas que comprometem a sua vida e o seu dia-a-dia.

Se imaginar-mos a nossa vida, enquanto pessoas ouvintes e lhe retirarmos todo o som que nela existe, podem sentir um pouco de desconforto, certo? Algumas atividades tão normais do nosso dia-a-dia, começam só a ser possíveis de ser realizadas com a ajuda de outra pessoa.

No passado sábado, dia 15 de maio, a associação SER organizou um workshop de Língua Gestual Portuguesa, onde foram abordadas várias questões relevantes do quotidiano das pessoas Surdas e onde foram ensinadas várias técnicas de comunicação quando nós não sabemos Língua Gestual.

Dada a necessidade de fazer crescer e divulgar a Língua Gestual Portuguesa, a associação SER juntamente com o projeto Carlota, estão a aceitar inscrições para um Curso de Língua Gestual Portuguesa – nível I, onde poderá aprender ainda mais sobre a Língua Gestual e como comunicar através da mesma.

Na minha opinião, enquanto profissional da área de Língua Gestual Portuguesa, considero que saber LGP é um superpoder em vários sentidos da nossa vida.

Saber LGP, não ocupa lugar, valoriza o nosso currículo e ainda, certamente, vamos ajudar alguém.

Aceitas dar-me a mão nesta aventura?

Vem aprender.

Sobre a Érica Fonseca

O meu nome é Érica Fonseca, residente no distrito de Viseu. Sou licenciada em Língua Gestual Portuguesa na Escola Superior de Coimbra e mestre em Intervenção Psicossocial com Crianças e Jovens em Risco. Desde cedo que a Língua Gestual suscitou em mim um grande interesse e hoje, olhando em retrospetiva, não poderia ter escolhi outra profissão ou caminho que me fizesse sentir tão realizada e feliz. O meu percurso profissional sempre foi dentro da Língua Gestual e do ensino da mesma. Trabalhei vários anos no projeto “ LGP-KIDS”, em Viseu. Neste momento, sou formadora de Língua Gestual Portuguesa, e fundadora de um projeto com muito amor com o objetivo de ensinar e sensibilizar todas as pessoas para a aprendizagem da língua: a Carlota lota.

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *