Budismo, uma resposta ao sofrimento

O projeto “Budismo, uma Resposta ao Sofrimento” é uma iniciativa sem fins lucrativos, realizada por leigos, que visa promover ferramentas ao público em geral, mesmo não sendo budista, com perspetivas e ensinamentos do Budismo, para o alívio do sofrimento.

É também uma iniciativa para a identificação do Budismo em Portugal, das escolas e mestres presentes, contribuindo para o conceito de Budismo como uma resposta ao sofrimento.

Este projeto nasceu a 3 de Dezembro de 2018, como um estudo intitulado “Um olhar do Budismo sobre a doença”, principalmente no apoio a pessoas com doença oncológica.

O estudo aglomerou-se num conceito maior – Budismo, uma Resposta ao Sofrimento.

Podem ver o site do projeto e a revista aqui…

Budismo, uma Resposta ao Sofrimento

Siddharta Gautama, o Buda Shakyamuni, ao alcançar o entendimento da Génese Condicionada, compreendeu a insatisfação que a todos nos assola, trazendo sofrimento.

Assim, ensinou as Quatro Nobres Verdades, para que pudéssemos ter noções claras sobre a Génese Condicionada:

  • A ver­da­de do sofri­men­to;
  • A ver­da­de da ori­gem do sofri­men­to;
  • A ver­da­de da ces­sa­ção do sofri­men­to;
  • A ver­da­de do cami­nho que leva à ces­sa­ção do sofri­men­to.

Na Quarta Nobre Verdade, Buda ainda nos explica o Nobre Caminho Óctuplo que nos orienta para a cessação do sofrimento.

Os conceitos fundamentais do Budismo, são a nossa missão.

Os nossos valores, transportam-se dos cinco preceitos:

  1. Não matar;
  2. Não rou­bar;
  3. Não men­tir;
  4. Não ter má con­du­ta ­sexual;
  5. Não intoxicar.

Proposta

Budismo, uma Resposta ao Sofrimento é uma iniciativa sem fins lucrativos, através do voluntariado, com as seguintes propostas:

  1. Tradução para português de Sutras e ensinamentos Budistas, como veículo de esclarecimento;
  2. Divulgação, suporte e promoção de atividades com fundamento Budista como resposta ao sofrimento;
  3. Concílio entre as várias escolas, ensinamentos e perspetivas;
  4. Vivência da filosofia de vida e não exposição de uma única escola ou ensinamento, como respeito por todos – muitos foram os ensinamentos de Buda, muitas são as perspetivas e as escolas.

Os fundadores,
João Magalhães e Sílvia Oliveira